60 anos de associação com a Justiça
Nossa História Fala da Presidente

Agenda Comemorativa

FOTOS


Confraternização 2017 da AMPB marca lançamento de logomarca dos 60 anos da AMPB

VÍDEOS


Série "Você Sabia?" - Entidade Pública

Magistrados (as) são convidados a comemorar os 60 anos da AMPB

Lançamento de logomarca alusiva às seis décadas da AMPB marca comemorações dos 60 anos da Entidade

Ex-presidentes

  • 1958 - 1959

    Desembargador João Santa Cruz de Oliveira

    Eleito por aclamação no dia da fundação da Associação, o desembargador João Santa Cruz teve breve passagem na AMPB: menos de um ano. A atuação da primeira diretoria teve o objetivo de dar a base administrativa e operacional à entidade recém criada.

  • 1959 - 1961

    Desembargador Onesipo Aurélio de Novais

    O nome do desembargador Onesipo está intimamente ligado à criação e à consolidação da AMPB, pois fez parte da primeira diretoria como vice-presidente. Com o afastamento do presidente João Santa Cruz, assumiu o comando da associação e convocou eleições para nova diretoria. No dia 17 de junho de 1959, foi eleito, por aclamação, para exercer o cargo de presidente para o novo biênio.
     
    Durante sua gestão viabilizou o desconto em folha da contribuição dos sócios junto ao Tesouro do Estado e muito contribuiu para a consolidação da entidade.
     

  • 1961 - 1962

    Desembargador Genival Ferreira Caju

    O então juiz de direito Genival Caju foi o primeiro a ser eleito por votação, diferente dos anteriores que eram conduzidos ao cargo por aclamação. Em sua gestão, a AMPB viu sancionado pelo Governo do Estado o projeto de lei, de autoria do deputado Dirceu Arnaud, que criou a Casa do Juiz, um sonho antigo da classe. E, também, um outro projeto, este de autoria do deputado Manoel Figueiredo, que reconheceu a associação como entidade de utilidade pública.
     
    Genival Caju não completou seu mandato, no dia 11 de agosto de 1962, foi lida, em sessão extraordinária, sua carta renúncia à presidência da AMPB, que passou a ser dirigida pelo vice-presidente, Moacir Nóbrega Montenegro.
     

  • 1962 - 1963

    Desembargador Moacir Nóbrega Montenegro

    Assumiu a presidência no dia 11 de agosto de 1962, em face da renúncia de Genival Caju. Apesar de pouco mais de 10 meses à frente da associação, Moacir Montenegro teve destacada atuação como presidente, merecendo, juntamente com seus companheiros de diretoria, votos de aplausos pelo espírito de combatividade e ação coesa, demonstrados durante o exercício do mandato.

  • 1963 - 1966

    Juiz Pedro Nogueira de Morais Brito

    Há um grande vazio de informações sobre o período de sua gestão, que se estendeu além dos dois anos previstos no Estatuto. Empossado no dia 21 de junho de 1963, somente no dia 15 de junho do ano seguinte, houve a única reunião de todo seu período administrativo, um fato que deve ter pesado contra sua administração, e que deve ser lembrado aqui apenas para efeito especulativo, é a ocorrência do Golpe Militar de 1964, que veio ferir profundamente os poderes constituídos nos mais diferentes âmbitos da sociedade brasileira, o que pode ter ocorrido para o esvaziamento de registros da jovem associação. Um mandato que deveria se encerrar em junho de 1965 se estendeu até janeiro de 1966, o que vem explicar a redução, em alguns meses, do mandato da diretoria seguinte.

  • 1966 - 1973

    Desembargador Simeão Fernandes Cardoso Cananéa

    A gestão de Simeão Cananéa foi marcante para a entidade. Não só pelas nove vezes que ficou à frente da associação, mas também por sua dedicação, competência e visão administrativa.
     
    Seu primeiro mandato (um ano e sete meses), foi marcado por uma extensa e constante atividade: realizou mais de 20 reuniões de diretoria; promoveu o aumento do quadro social; reformou os Estatutos, criando o Conselho Fiscal e realizou o 1º Encontro dos Magistrados da Paraíba, em Patos.
     
    Em sua segunda gestão, promoveu o II Encontro dos Magistrados, desta vez, em Campina Grande.
     
    Na terceira gestão, organizou dois importantes encontros: o III Encontro dos Magistrados da Paraíba, em Brejo das Freiras, contando com as presenças de juízes dos Estados vizinhos e o IV Encontro dos Magistrados, em João Pessoa, com a presença dos magistrados de quase todo Nordeste. Outro fato marcante de sua administração foi a inauguração do Balneário da associação, na praia de Areia Dourada.
     
     
     

  • 1973 - 1976

    Desembargador Geraldo Ferreira Leite

    Na primeira reunião ordinária da diretoria, logo depois de sua eleição, o desembargador Geraldo Leite criou o Departamento de Administração do Balneário; um Departamento de Relações Públicas e um Departamento Patrimonial. Cuidou do constante melhoramento do Balneário, cercando o imóvel e providenciando a instalação de sua rede hidráulica. Destacou-se na luta perante o Executivo, pela garantia de vencimentos condignos para a magistratura paraibana. No dia 10 de janeiro de 1976 realizou a primeira eleição da AMPB no Balneário de Areia Dourada.

  • 1976 - 1980

    Desembargador Almir Carneiro da Fonseca

    Cuidou da reforma do prédio do Balneário; promoveu o V Encontro dos Magistrados da Paraíba. Ao final de seu mandato, foi reeleito para um segundo período de mais dois anos. Na 2ª gestão, além dos esforços empregados junto ao Governo do Estado, pelas melhorias salariais dos magistrados, dedicou atenção especial às instalações do clube na praia de Areia Dourada, adquirindo terreno vizinho ao Balneário, possibilitando, assim, a sua expansão. Também construiu as piscinas daquele local.

  • 1980 - 1984

    Desembargador José Hardman Norat

    Foi presidente por duas vezes. Durante suas gestões aparelhou a sede social do Balneário com serviços de som; fez reformas na casa; colocou linha telefônica; iniciou parceria com a Unimed; delegou atribuições a vários associados para as mais diferentes funções como auxiliares da Diretoria; promoveu o VI Encontro dos Magistrados da Paraíba e reformou o Estatuto.

  • 1984 - 1986

    Juiz Felizardo Toscano Leite Ferreira Neto

    Sua gestão à frente da AMPB foi caracterizada por uma intensa luta em favor da melhoria dos vencimentos da magistratura da Paraíba que, àquela época, era dos mais baixos, comparados com os demais Estados do Nordeste. Além das lutas em defesa da classe, fez melhoramentos no Balneário e reformulou o Estatuto.

  • 1986 - 1998

    Desembargador Simeão Fernandes Cardoso Cananéa

    A sua quarta gestão ocorreu 12 anos após a última. Dessa vez, realizou mais um Encontro de Magistrados; criou a Medalha do Mérito para os grandes benfeitores da AMPB; coordenou o Encontro Regional de Juízes; criou os Departamentos Habitacional e Assistencial e ainda encampou luta para que fossem construídas casas para juízes das comarcas do interior.
     
    Na 5ª vez como presidente da associação, o desembargador Cananéa construiu a cobertura da quadra de esportes da AMPB, instalou o Parque Infantil do Balneário e ainda criou a medalha “Amigos da Associação dos Magistrados da Paraíba”.
     
    No período em que presidiu a AMPB pela 6ª vez, coordenou o Encontro Regional dos Magistrados, ampliou a quadra de esportes e iniciou a construção de apartamentos do Balneário de Areia Dourada.
     
    De 1992 a 1994 cumpriu a 7ª gestão, de 1994 a 1996 a 8ª e de 1996 a 1998 cumpriu sua última gestão. No dia 29 de agosto de 1998 passou a direção da AMPB ao novo presidente eleito, o desembargador Plínio Leite Fontes, encerrando uma administração de 12 anos consecutivos.
     

  • 1998 - 2000

    Desembargador Plínio Leite Fontes

    Dos fatos mais marcantes de sua administração, destacam-se: realização da Semana de Estudos Jurídicos; cursos de reciclagem para magistrados do interior; reformas no Balneário, com mudança do sistema de energia elétrica, construção de guaritas, compra de móveis para os apartamentos e implantação de novo sistema de iluminação da quadra de esportes. Alcançou junto ao Tribunal Regional Eleitoral um reajuste da gratificação eleitoral e junto ao Tribunal de Justiça, a implantação da chamada parcela autônoma que, embora não tenha sido no valor pleiteado, constituiu-se numa vitória, considerada a conjuntura nacional daquele momento.

  • 2000 - 2002

    Desembargador Nestor Alves de Melo Filho

    Uma de suas primeiras realizações foi o lançamento do livro “Coletânea de Sentenças Cíveis e Criminais”, uma obra reunindo uma seleção de sentenças proferidas por juízes de primeiro grau. Fez ainda a recuperação do muro da sede social; colocou portões automatizados; recuperou a quadra de esportes, com substituição de parte dos vigamentos, e a reconstrução de piscinas, que apresentavam graves problemas de infiltração.

    Durante sua gestão vale também ressaltar como uma das medidas mais importantes a que diz respeito às novas regras para o pecúlio dos magistrados, matéria objeto dos estatutos e de difícil solução para as diretorias da AMPB. Com as novas regras implantadas, o pagamento do pecúlio passou a ser devido apenas por morte ou aposentadoria por invalidez. Outra importante medida de sua gestão foi a instituição de regiões, descentralizando a votação nas eleições.

    No último dia à frente da presidência da associação aprovou três importantes projetos de resolução encaminhados pelo desembargador Antônio de Pádua Lima Montenegro. O primeiro instituindo a Medalha do Mérito “Desembargador Simeão Fernandes Cardoso Cananéa”; um outro criando o Centro de Estudos Jurídicos “Desembargador Severino Montenegro”; e o terceiro, instituindo as Coordenações Regionais da Associação dos Magistrados.

  • 2002 - 2004

    Desembargador Antônio de Pádua Lima Montenegro

    A eleição que o elegeu foi a primeira descentralizada, com mesas receptoras e apuradoras de votos instaladas na Capital e nas comarcas de Campina Grande, Guarabira, Sousa e Patos. Criou os Departamentos de Apoio aos Aposentados; de Assuntos do Interior; de Reformas e Racionalização dos Serviços Judiciários; de Apoio e Valorização dos Magistrados; de Apoio à Mulher Magistrada e o de Tecnologia e Informática.
     
    Instalou o centro de estudos jurídicos “Desembargador Severino Montenegro”; promoveu uma reorganização administrativa da parte contábil, financeira e judiciária da associação; criou a homepage da associação; lançou o jornal “Notícias AMPB”; assinou um novo contrato de assistência médico-hospitalar com a Unimed; fez melhoramentos no parque infantil e cuidou do embelezamento da sede social. Além dessas ações, instalou as diversas Coordenadorias Regionais; viabilizou, junto ao Governo do Estado, o pagamento, em atraso, dos vencimentos dos magistrados, relativos ao mês de dezembro de 2002; durante as festividades dos 45 anos da AMPB, realizou o XI Encontro dos Magistrados Paraibanos e inaugurou a nova sede central da Entidade. Lançou a primeira obra escrita sobre a história da Entidade: “AMPB (1958-2003): Uma trajetória de 45 anos”.
     

  • 2004 - 2008

    Juiz Marcos Coelho de Salles

    As duas gestões do juiz Marcos Salles caracterizam um grande legado associativo, com vitórias e conquistas que marcaram a história da magistratura paraibana e o papel da AMPB no Judiciário brasileiro e paraibano e também diante da população da Paraíba. Abaixo, um breve resumo de sua atuação:
     
    Mudança de paradigma – pela primeira vez um grupo formado por juízes administra a associação; reunidos em torno de propostas de campanha, começam a transformar a realidade institucional do Poder Judiciário.
     
    Orçamento próprio – uma das primeiras lutas dessa equipe coesa foi influenciar, decisivamente, na feitura da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias e LOA – Lei do Orçamento Anual. Isso, através de reuniões com o presidente do Tribunal de Justiça e assessores técnicos – profissionais da área contábil, para dirimir todas as dúvidas da associação a esse respeito. No plano técnico, conseguiu a elevação do percentual da receita corrente líquida destinada ao Judiciário.
     
    Repasse do duodécimo – com o dinheiro em caixa, a próxima luta foi a regularidade do repasse do duodécimo. Enquanto era gerenciado pelo Poder Executivo, o pagamento dos magistrados e servidores do Poder Judiciário acontecia com atrasos. O trabalho associativo começou a mudar essa realidade e, no dia 21 de janeiro de 2005, o então governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, autorizou o repasse do duodécimo, dando início ao processo de independência do Judiciário paraibano. A partir de então, os magistrados passaram a receber seus salários dentro do próprio mês trabalhado. 
     
    Subsídios – o Judiciário paraibano já estava com o dinheiro em caixa, com o repasse do duodécimo garantido, mas seus magistrados tinham a pior remuneração do país. Através do trabalho associativo da AMPB e intensa mobilização da categoria, implantou-se o subsídio, a partir da publicação da Lei nº 7.975/2006, em 07 de abril, ajustando a remuneração da categoria à Constituição.
     
    A Entidade associativa da Paraíba também alcançou grande força institucional graças à presença ativa da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) nas lutas encampadas pela classe. A instituição nacional ofereceu apoio jurídico no andamento de ADIN´s, a exemplo da que defendeu o direito dos aposentados paraibanos permanecerem ligados ao seu Poder de origem. A AMPB também se engajou na luta contra a compulsória aos 75 anos e pelo fim do nepotismo no âmbito do Poder Judiciário.
     
    Sede própria – antes da gestão do juiz Marcos Salles, a sede administrativa da AMPB funcionou nas dependências do TJ e do Fórum Cível de João Pessoa. A sede própria foi adquirida em agosto de 2006, com recursos próprios, obtidos através da luta associativa, que atualizou a contribuição dos sócios, somente possibilitada depois da implementação dos subsídios. A sede administrativa, localizada na Avenida João Machado, em frente ao Fórum Cível da Capital, possui instalações modernas e confortáveis, condignas com seus associados.
     
    Sede de lazer – outro grande investimento realizado durante a gestão de Marcos Salles foi a revitalização da sede social da Entidade. Os apartamentos foram todos reformados e mobiliados; a área externa foi urbanizada; a área comum recebeu um novo restaurante, mirante, redário, minicampo de futebol, piscinas e recepção, formando uma infraestrutura arquitetada para melhor receber associados e familiares.
     
    Outras ações relevantes da atual gestão: três encontros estaduais, com grandes nomes do Judiciário nacional como palestrantes; reforma de Estatuto; luta pela objetivação do merecimento; democratização da atuação, dando amplo espaço para cada magistrado, que passou a interagir com a AMPB através da atuação das Coordenadorias Regionais; valorização da comunicação, aproximando a Entidade da sociedade civil; preocupação com a identidade visual, criando nova logomarca; modernização do site institucional e do jornal informativo; acréscimo de convênios; ampla comemoração alusiva aos 50 anos da AMPB; apoio a campanhas nacionais promovidas pela AMB, a exemplo de “Eleições Limpas”, “Mude um Destino”, “Simplificação da Linguagem Jurídica”, “Juízes contra a corrupção”, entre outras; amplo apoio jurídico à magistrados, coletiva e individualmente; incentivo do congraçamento entre os associados, através de confraternizações, eventos esportivos, etc.
     
    Foi também durante sua gestão que a magistratura paraibana passou a se mobilizar em busca de seus direitos, por meio de atos históricos como dia de mobilização em prol da independência financeira do Poder Judiciário e a presença de juízes na Assembleia Legislativa do Estado na luta pela implantação dos subsídios – marcando o perfil ‘pró-independência’ das duas gestões do presidente Marcos Coelho de Salles.
     
    O diálogo com a categoria e com o Tribunal de Justiça, fazendo da AMPB um forte mediador, fortaleceu muitas lutas, a exemplo da relacionada aos precatórios, atualização de subsídios, criação do cargo de assessor de juiz, ATS, entre outras.
     
    As gestões “Magistratura Independente” e “Reafirmando a Independência”, marcaram a história da AMPB por cumprirem a proposta de fortalecimento do Judiciário através da valorização do magistrado. 
     

  • 2008 - 2012

    Juiz Antônio Silveira Neto

    Durante as duas gestões do juiz Silveira Neto a AMPB seguiu conquistando espaço no meio jurídico local e nacional, tornando-se exemplo de atuação institucional ao reivindicar de forma positiva melhorias na gestão do Judiciário paraibano, além de apresentar e defender posicionamentos que valorizam também a imagem da Justiça perante a opinião pública.
     
    Seu propósito foi o de lutar para ampliar a voz da democracia no Judiciário, buscar novas formas de pensar as condições necessárias para uma ampliação eficiente da Justiça e, assim, melhor servir a sociedade.
     
    O panorama das ações desenvolvidas pela AMPB durante suas gestões demostraram, principalmente, o compromisso maior de atender aos anseios de cada magistrado paraibano, seja ele da ativa, aposentado, de 1º ou 2º grau. Para isso, a E ntidade contou com uma gestão democrática e moderna, que desempenhou suas funções com dedicação. À frente de um processo de luta e amadurecimento associativo, buscou cumprir a carta programa.
     
    Seu trabalho foi realizado através de posicionamentos firmes, procurando contribuir para que o Judiciário seja mais ético, mais transparente, para que os atos internos administrativos do Poder Judiciário tenham mais impessoalidade e isso foi uma contribuição muito importante para que este Judiciário possa cada dia mais merecer a confiança da população.
     
    Tanto no discurso como na prática, procurou parcerias com o TJPB, mas também reivindicou e combateu práticas arcaicas, em desacordo com os preceitos republicanos. 
     
    Em virtude da luta desempenhada durante suas gestões, a AMPB conseguiu levantar pleitos da categoria, obtendo vitórias importantíssimas para melhorar as condições de trabalho dos magistrados. 
     
    A magistratura paraibana passou a ser referencia nacional, sobretudo pelas conquistas obtidas com respeito às condições de trabalho e à defesa de prerrogativas.
     
    Leia aqui o relatório de gestão completo: https://issuu.com/ampb/docs/relatoriodegestao
     

  • 2012 - 2016

    Juiz Horácio Ferreira de Melo Júnior

    Assumiu a gestão da AMPB em agosto de 2012 compromissado em manter a Entidade forte, com uma magistratura valorizada e independente. Com uma postura firme e atuante diante do Tribunal de Justiça, cobrou direitos e prerrogativas da classe, bem como contribuiu para o aprimoramento do Judiciário paraibano, agindo em defesa dos associados e zelando pela imagem da magistratura diante da sociedade e perante a opinião pública.
     
    Transformou metas em conquistas por meio de muito trabalho e dedicação. Somou grandes vitórias, como a redução da diferença de subsídios entre entrâncias; pagamento da PAE aos aposentados feito diretamente pelo TJPB; atualização dos valores da PAE, com cálculos envolvendo juros e correção monetária; publicação de editais de vacância, que destravou de maneira singular a movimentação na carreira; participação ativa na elaboração da resolução da escala de plantão do Judiciário, beneficiando os juízes de 1º grau; luta pela conversão de um terço de férias em abono pecuniário; cobrança do retroativo do auxílio alimentação e pelo pagamento de auxílio transporte para magistrados.
     
    Manteve posicionamento independente diante do famigerado “Termo de Cooperação” imposto pelo CNJ, em que a AMPB não subscreveu o referido documento, que tentou macular a imagem da magistratura paraibana; lutou pela nomeação de novos juízes, pela instalação das Varas criadas pela LOJE e pela abertura de concurso público para suprir as vagas de juízes existentes.
     
    Realizou o 18º e o 19º Encontro de Magistrados Paraibanos. Lançou na Paraíba a bandeira da democratização do Judiciário, através da campanha “Diretas Já no Poder Judiciário”.
     
    Atuou decisivamente em Brasília, em parceria com a AMB, junto ao Congresso Nacional, acompanhando o andamento de Pec´s de interesse da magistratura.
     
    Manteve compromissos financeiros em dia, realizou eventos para reunir a classe em datas festivas; investiu em patrimônio, ampliando a sede de lazer da AMPB com a construção de mais 5 flats e 3 apartamentos, secretaria, cobertura na lateral da piscina e novo salão de jogos.
     
    Adquiriu uma nova sala para ampliação da sede administrativa, com 31 metros quadrados, no Edifício Plaza Center, em João Pessoa.
     
    Realizou a primeira campanha publicitária para valorização da imagem da categoria. Com o slogan “Mais do que aplicar a lei, todo juiz exerce um papel social”, foram publicadas peças em diversos meios de comunicação (rádio, TV, outdoor, jornal impresso e mídia digital e redes sociais), em todo o Estado.
     
    Promoveu cursos de aperfeiçoamento. Trouxe para a Paraíba a 7ª edição dos Jogos Nacionais da Magistratura.
     
    Veja abaixo os relatórios de suas gestões para detalhar mais as atividades desenvolvidas:
     
     
     
     

Linha do Tempo

Clique nas fotos e conheça um pouco mais da nossa trajetória

  • 1958

    Criação da AMPB

    A missão confiada a AMPB pelos seus fundadores estava claramente definida nos seus estatutos: pugnar pelo prestígio do Poder Judiciário, pelas garantias cosntitucionais específicas dos magistrados, por sua indeéndência e defesa dos interesses da magistratura paraibana.

  • 1958

    Des. João Santa Cruz assume a presidência da AMPB

  • 1959

    Des. Onesipo Aurélio assume presidência da AMPB

  • 1961

    Des. Genival Caju assume presidência da AMPB

  • 1962

    A AMPB é declarada de utilidade pública pela Lei nº 2.756, de 5 de janeiro de 1962, publicada no DOE em 09/01/62.

  • 1962

    Des. Moacir Montenegro assume presidência da AMPB

  • 1963

    Juiz Pedro Nogueira assume presidência da AMPB

  • 1966

    Des. Simeão Cananéa assume presidência da AMPB

  • 1967

    1º Encontro de Magistrados da Paraíba, em Patos

  • 1968

    II Encontro de Magistrados da Paraíba, em Campina Grande

  • 1971

    III Encontro de Magistrados Paraibanos, em Brejo das Freiras

  • 1973

    IV Encontro dos Magistrados da Paraíba

  • 1973

    Des. Geraldo Ferreira Leite assume presidência da AMPB

  • 1976

    Des. Almir Carneiro assume presidência da AMPB

  • 1980

    Des. Hardman Norat assume presidência da AMPB

  • 1984

    Juiz Felizardo Toscano assume presidência da AMPB

  • 1998

    X Encontro Estadual de Magistrados Paraibanos, em João Pessoa

  • 1998

    Des. Plínio Leite Fontes assume presidência da AMPB

  • 2000

    Des. Nestor Alves assume presidência da AMPB

  • 2002

    Des. Antônio de Pádua assume presidência da AMPB

  • 2003

    Obra de Humberto Fonsêca de Lucena marca os 45 anos da AMPB

  • 2004

    Juiz Marcos Salles assume presidência da AMPB

  • 2006

    AMPB apoia I Encontro de Juízes e Promotores da Infância e da Juventude do Estado da Paraíba

  • 2006

    Aquisição de sede administrativa própria - então presidente Marcos Salles e o tesoureiro Sivanildo Torres assinam contrato de compra

  • 2006

    Encontro com candidatos ao Governo do Estado da Paraíba

  • 2007

    XIII Encontro de Magistrados Paraibanos: Poder Judiciário Nacional: democracia, eficiência e transparência

  • 2007

    Inauguração da sede administrativa própria

  • 2008

    Agenda comemorativa aos 50 anos da AMPB

  • 2008

    Magistratura mobilizada na ALPB, por aprovação de atualização dos subsídios

  • 2008

    XIV Encontro de Magistrados Paraibanos: Democracia e Efetividade da Justiça

  • 2008

    XIV Encontro de Magistrados Paraibanos, em João Pessoa

  • 2008

    Nova logomarca marca os 50 anos da AMPB

  • 2008

    Livro "Um Ideal Gerando Grandes Conquistas" marca os 50 anos da AMPB

  • 2008

    Juiz Antônio Silveira assume presidência da AMPB

  • 2009

    XV Encontro de Magistrados Paraibanos, em João Pessoa

    Tema: Novo Estatuto da Magistratura: em busca do aprimoramento da Justiça.

  • 2010

    Em parceria com a Esma, AMPB promove curso com o constitucionalista André Ramos Tavares

  • 2010

    XVI Encontro de Magistrados Paraibanos, em Campina Grande

    Tema: O Poder Judiciário numa sociedade descontente: impasses, desafios e modernização da Justiça.    

  • 2010

    XVI Encontro de Magistrados Paraibanos: O Poder Judiciário e a sociedade descontente: impasses, desafios e modernização da Justiça

  • 2010

    AMPB lança a "Campanha Eleições Limpas – Não Vendo meu Voto", idealizada pela AMB, no Estado da Paraíba

  • 2010

    Torneio Estadual de Tênis, realizado em Campina Grande

  • 2010

    AMPB realiza primeiras eleições utilizando urna eletrônica

  • 2010

    AMPB realiza sua primeira confraternização em formato de reveillon

  • 2011

    Em audiência com o governador do Estado, Ricardo Coutinho, AMPB trata de recursos e segurança para o Judiciário

  • 2011

    XVII Encontro de Magistrados Paraibanos: Modernização e Humanização da Justiça

  • 2011

    XVII Encontro de Magistrados Paraibanos, na cidade de Campina Grande

  • 2011

    Paraíba sedia Campeonato Nacional de Futebol Super Sênior da AMB

  • 2011

    AMPB protagoniza ato de valorização da magistratura na Paraíba

  • 2011

    Representantes da Paraíba participam de ato pela valorização da magistratura no Congresso Nacional

  • 2011

    Juízes da Paraíba reúnem-se com então Senador Vital do Rêgo para tratar sobre correção de subsídios da categoria

  • 2011

    Assembleia Geral da AMPB decide pela manutenção do pecúlio associativo

  • 2011

    AMPB lança campanha "Escreva menos e fale mais", de modo a incentivar os magistrados a interagirem melhor com o cidadão

  • 2012

    AMPB, sempre incansável na defesa dos magistrados aposentados, em reunião na PBPREV

  • 2012

    AMPB apoia realização do FONAJUV na Paraíba

  • 2012

    Juiz Horácio Melo assume presidência da AMPB

  • 2012

    Primeira mulher presidente eleita do TJPB, des. Maria de Fátima, escuta diretoria da AMPB

  • 2012

    Diretoria da AMPB leva pleitos da magistratura à primeira mulher presidente do TJPB, des. Maria de Fátima

  • 2013

    Presidente da AMPB trata sobre diárias de juízes com presidente do TRE-PB

  • 2013

    XVIII Encontro de Magistrados Paraibanos: Diretas Já no Poder Judiciário

  • 2013

    AMPB promove curso de tiro para novos juízes da Paraíba

  • 2013

    Clube dos Magistrados passa por ampliação para ganhar mais cinco apartamentos

  • 2013

    Diretoria da AMPB recebe candidato a presidência da AMB

  • 2014

    AMPB leva apoio institucional a juízes eleitorais da Paraíba em dia da realização de pleito estadual

  • 2015

    A Paraíba sedia os Jogos Nacionais da Magistratura

  • 2016

    XIX Encontro de Magistrados Paraibanos, em Campina Grande

    Tema: Diretrizes do novo CPC e os desafios da magistratura

  • 2016

    Juíza Maria Aparecida Sarmento Gadelha é a primeira mulher a assumir a presidência da AMPB

  • 2017

    Em parceria com o MP, AMPB realiza a I Corrida da Justiça Paraibana

  • 2017

    I Corrida da Justiça Paraibana, realizada na orla de João Pessoa